UFC integra rede de pesquisadores financiada pelo maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia

27 de dezembro de 2019

Imagem: Logomarca do programa de pesquisa e inovação da União EuropeiaCom o projeto Garantindo a Biodiversidade, a Integridade Funcional e os Serviços Ecossistêmicos em Redes Fluviais Que Secam, os professores da Universidade Federal do Ceará Carla Rezende, do Departamento de Biologia, e José Carlos de Araújo, do Departamento de Engenharia Agrícola, foram os únicos pesquisadores brasileiros aprovados na chamada “Inter-relações entre as mudanças climáticas, biodiversidade e serviços ecossistêmicos com foco na área – construindo uma redução de carbono, e uma resiliência climática para o futuro”, dentro das ações do Horizon 2020, maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia.

Por meio dos projetos da chamada citada, estão envolvidos 25 especialistas de 11 países da Europa, América do Sul, China e Estados Unidos, sob coordenação do pesquisador Thibault Datry, do Institut National de Recherche en Sciences et Technologies pour l’environnement et l’agriculture (IRSTEA), na França.

Imagem: O Prof. José Carlos de Araújo é docente do Departamento de Engenharia Agrícola (Foto: Ribamar Neto/UFC)Todos os pesquisadores envolvidos na rede irão aplicar protocolos padronizados para coletar as mesmas informações em todos os países, com o intuito de criar um banco de dados que possa avaliar o aumento na seca dos rios em uma escala global. Os resultados finais do projeto contribuirão para alcançar os objetivos do Acordo de Paris, de acordo com as exigências do programa Horizon 2020.

O projeto deverá iniciar em fevereiro de 2020 e terá duração de três anos. No Brasil, a UFC será a única universidade a aplicar os testes. Farão parte da pesquisa doutorandos dos Programas de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais, do Centro de Ciências; e em Engenharia Agrícola, do Centro de Ciências Agrárias, nos quais os professores são orientadores.

Imagem: A Profª Carla Rezende é docente do Departamento de Biologia (Foto: Acervo pessoal)A intenção é que os pesquisadores da UFC contribuam na construção de um modelo hidrológico que poderá prever a perda da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos em uma perspectiva de mudanças climáticas. Para tanto, de um total de 6,7 milhões de euros em investimentos, 109,7 mil euros serão destinados à pesquisa desenvolvida na Universidade.

Segundo a Profª Carla Rezende, “não há política de conservação eficaz da biodiversidade ou estratégia de gestão dessas redes fluviais em um cenário de mudanças climáticas”. Por isso, “o projeto tem grande relevância para o cenário atual, devido ao fato de que mais da metade das redes fluviais do mundo consiste em rios que secam, que estão se expandindo dramaticamente. No entanto, as redes fluviais que secam têm recebido pouca atenção de cientistas, e com isso as pessoas desconhecem sua importância”, explica.

Fonte: Profª Carla Rezende, do Departamento de Biologia da UFC ‒ e-mail: carla.rezende@ufc.br

Publicado originalmente em http://www.ufc.br/noticias/14122-ufc-integra-rede-de-pesquisadores-financiada-pelo-maior-programa-de-pesquisa-e-inovacao-da-uniao-europeia