Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Centro de Ciências Agrárias

Área do conteúdo

Agência UFC: Pesquisadores desenvolvem processo para produzir camarão em pó; invento resultou na 18ª carta patente obtida pela UFC

Data de publicação: 28 de outubro de 2021. Categoria: Notícias

Base para o preparo de diversas iguarias, o camarão é considerado um dos itens mais saborosos e versáteis das culinárias brasileira e internacional. Buscando novas formas de disponibilizar esse apreciado crustáceo, pesquisadores da Universidade Federal do Ceará desenvolveram um processo para a produção de camarão desidratado em pó.

O invento foi reconhecido em setembro pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e resultou em mais uma carta patente para a UFC ‒ a 18ª obtida pela Instituição.

Mão segurando um camarão

O Ceará é o segundo maior produtor nacional de camarão, fato que favorece o potencial da produção do crustáceo na forma de pó (Foto: Viktor Braga/UFC)

Esse é o tema da reportagem da Agência UFC desta semana. O objetivo dos pesquisadores é que o camarão em pó, que é rico em proteína, seja aplicado tanto na culinária quanto na indústria alimentícia, com possibilidade de produção em larga escala, principalmente no preparo de molhos, temperos para macarrão instantâneo, patê, entre outros.

O invento é assinado pelo Prof. José Maria Correia da Costa, docente aposentado do Departamento de Engenharia de Alimentos da UFC, e pelos ex-alunos Janaína de Paula Costa e Luís Gomes de Moura Neto. O processo para obtenção do novo alimento foi o tema da dissertação de Janaína, defendida em 2015 no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UFC, sob orientação do Prof. José Maria e coorientação da Profª Maria Lúcia Nunes, também da UFC.

POTENCIAL – Atualmente, quase toda a produção brasileira de camarões ocorre em estados da região Nordeste (99,6%), sendo que o Ceará é o segundo maior produtor nacional, atrás apenas do Rio Grande do Norte. Aracati, no litoral leste cearense, foi o município que mais produziu camarões no País em 2020, com 3,9 mil toneladas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referentes a 2020.

“O camarão em pó tem um potencial muito grande por ser obtido a partir de uma matéria-prima produzida em grandes quantidades no Ceará. Além disso, como o camarão é algo muito perecível, sua transformação em um produto industrializado e estável à temperatura ambiente favorece seu uso durante um período maior”, destaca o Prof. José Maria Correia da Costa.

A íntegra da reportagem está disponível no site da Agência UFC.

Fontes: Prof. José Maria Correia da Costa – e-mail: correiacostaufc@gmail.com; Janaína de Paula Costa – e-mail: eng.janaina@yahoo.com.br

Notícia publicada originalmente no site da UFC.

Acessar Ir para o topo