Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Centro de Ciências Agrárias

Área do conteúdo

CCA na Rio+20

Data de publicação: 28 de junho de 2012. Categoria: Notícias

O Prof. Luiz Antônio Maciel de Paula, Diretor do Centro de Ciências Agrárias, esteve presente na Rio+20, em companhia dos representantes ambientais dos estados do Nordeste e de Minas Gerais, para apresentar os encaminhamentos da I Conferência Regional de Desenvolvimento Sustentável do Bioma Caatinga.

A Conferência foi realizada em Fortaleza, nos dias 17 e 18 de maio, e resultou no documento "Declaração da Caatinga", que formaliza compromissos para a promoção do desenvolvimento sustentável desse bioma.

“Os principais pontos da declaração são a regulamentação da Caatinga enquanto bioma, assim como foi feito com a Mata Atlântica, e a criação de um fundo nacional para preservação desse ecossistema”, informa o Prof. Luiz Antônio.

De acordo com o Diretor, a programação na Rio +20 foi variada e enriquecedora. Ele destacou ainda a participação de docentes e pesquisadores da UFC em diversos espaços, além da presença de estudantes da Universidade na Cúpula dos Povos, realizada no Aterro do Flamengo.

No tocante aos resultados da Rio+20, o Prof. Luiz Antônio avalia que o impacto maior foi quanto à sensibilização social para as questões ambientais, embora as questões político-legais tenham deixado a desejar. Acrescentou que o evento foi muito positivo para o Centro de Ciências Agrárias pelo fato de ter proporcionado parcerias para o fortalecimento de eixos importantes da atuação daquela unidade, como a agricultura orgânica.

Declaração da Caatinga – destaques:

§ Mobilização de esforços para aprovação da Proposta de Emenda Constitucional que transforma a Caatinga em patrimônio nacional e da Política Nacional de Combate e Prevenção à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca;
§
Implementação de um fórum de gestores estaduais do meio ambiente, fortalecendo a governança nas políticas voltadas ao desenvolvimento sustentável do bioma Caatinga;
§
Promoção de tecnologias sustentáveis, adequadas às necessidades específicas das populações locais;
§
Promoção da gestão, recuperação e criação de unidades de conservação em áreas prioritárias para a proteção do bioma;
§
Adoção de medidas para prever, evitar ou minimizar as causas da mudança do clima e mitigar eventuais efeitos negativos;
§
Apoio ao desenvolvimento de projetos que viabilizem formas alternativas de geração de renda para as populações mais vulneráveis aos efeitos da seca e da desertificação;
§
Criação da Agenda Positiva para a Caatinga, um plano de comunicação cujo objetivo será intensificar a divulgação das riquezas do patrimônio natural e cultural do bioma, com mudança do foco, atualmente centrado na pobreza, para um paradigma baseado no campo das possibilidades e das belezas existentes;
§
Instituição do “Fundo Caatinga”, cuja finalidade é captar recursos não reembolsáveis para investimentos em ações de conservação e uso sustentável dos recursos naturais do bioma.

Fonte: Prof. Luiz Antônio Maciel de Paula, Diretor do CCA – (Fone: 85 3366 9731)

Acessar Ir para o topo