Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Centro de Ciências Agrárias

Área do conteúdo

Defesa de tese na Fitotecnia

Data de publicação: 4 de setembro de 2013. Categoria: Notícias

No dia 13 de setembro, sexta-feira, às 8h, a aluna do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia Isabel Peixoto Lourenço defenderá sua tese de doutorado intitulada “Resposta da aplicação de aminoetoxivinilglicina (AVG) na qualidade de frutos genótipos de melão cantaloupe”.

A banca da defesa é formada pelo orientador Prof. Marcio Cleber de Medeiros Correa, por Carlos Farley Herbster Moura, Fernando José Hawerroth e Fernando Antônio Souza de Aragão, todos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), além do Prof. Renato Innecco, do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Ceará (CCA-UFC).

Confira o resumo do trabalho apresentado:

O aumento do período de conservação dos frutos climatéricos ocorre pela inibição da síntese ou da ação do etileno de forma a retardar o amadurecimento. Uma das formas de controle deste processo pode ser a aplicação de reguladores vegetais como o aminoetoxivinilglicina (AVG) um inibidor da síntese deste hormônio. O AVG evita a formação autocatalítica do etileno, reduz a respiração climatérica, a abscisão de frutos e aumenta a firmeza da polpa quando pulverizado nas árvores frutíferas em pré-colheita. Esta tese teve como objetivos avaliar o efeito da aplicação de AVG na maturação e qualidade de frutos de melão cantaloupe em condições de campo e de casa de vegetação. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, em fatorial 3 x 5, com três datas de aplicação e cinco doses do princípio ativo, sendo utilizado duas repetições, tendo oito plantas por repetição no plantio em ambiente protegido e três repetições, formadas por cinco frutos em campo. As respostas em cada ambiente foram específicas sendo que em casa de vegetação uma aplicação do produto proporcionou maior firmeza na dose de 18 mg.L-1 e menores frutos na dose de 9 mg.L-1. Com duas e três aplicações da dose de 27 mg.L-1 ocorreu maior permanência do fruto à planta. Em condições de campo uma aplicação de AVG na dose de 90 mg.L-1 caracterizou maior teor de sólidos solúveis; com duas aplicações da dose de 270 mg.L-1 ocorreu à maior firmeza dos frutos e com três aplicações da dose de 180 mg.L-1 os frutos permaneceram ligados à planta por 2,45 dias a mais que a testemunha. Portanto, o AVG influenciou na qualidade e na maturação dos frutos de melão, sob ambas condições de cultivo.

Fonte: Deocleciano, Secretário do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia.
Contato: (85) 3366.9670

Acessar Ir para o topo