Português

IPEA publica artigos de professores do MAER

25 de junho de 2015

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) do Brasil, instituição de planejamento e análise de políticas públicas do governo federal publicou dois artigos de docentes do Mestrado em Economia Rural – MAER esse mês.

O Artigo denominado "Crescimento pró-pobre? Uma análise para os meios urbano e rural no Brasil" foi publicado na Revista de Pesquisa e Planejamento Econômico (Qualis B1), volume 45, número 1, 2015. Desenvolvido pelos autores Lilian Lopes Ribeiro (pesquisadora da FUNCAP), Jair Andrade de Araújo (MAER-UFC) e Débora Gaspar Feitora (UFC-SOBRAL).

Este trabalho Contou com o apoio financeiro da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) em parceria com o Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPq). O artigo busca analisar se o crescimento econômico no Brasil tem sido pró-pobre em suas áreas urbanas e rurais. Nesse sentido, com base nos dados dos censos demográficos dos anos de 2000 e 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram construídas as curvas de crescimento-pobreza, propostas por Son (2004). Um dos resultados da pesquisa apontou que apenas o Centro-Sul do país tem tido um padrão de crescimento que beneficia os mais pobres. No que concerne aos estados, percebeu-se que somente dez Unidades da Federação (UFs) apresentaram crescimento em favor dos menos favorecidos sendo que, para quatro delas, o crescimento é do tipo trickle-down, ou seja, apesar de contribuir para reduzir a pobreza, a renda dos ricos cresceu em uma proporção maior que a renda dos pobres. A desagregação da amostra permitiu observar, também, o quão baixo é o desempenho do crescimento econômico em reduzir a pobreza, com diminuição da desigualdade nas áreas rurais do país.

O segundo artigo "Dinâmica da Eficiência Produtiva das Instituições Federais de Ensino Superior" publicado na Pesquisa e Planejamento Econômico (Qualis B2), número 44, 2015,  dos autores Edward Martins Costa (MAER-UFC), Francisco de Sousa Ramos (PIMES), Hermino Ramos de Souza, Luciano Menezes Bezerra Sampaio.

O texto examina a fronteira de eficiência da educação superior pública federal por meio de uma metodologia não paramétrica denominada análise envoltória de dados (DEA), considerando as instituições federais de ensino superior (Ifes) como as unidades de comparação. Foram estimadas as fronteiras dinâmicas, bem como foi avaliado o índice de Malmquist, que verifica a mudança de produtividade entre dois períodos. A mensuração foi realizada por intermédio de alguns indicadores educacionais de gestão (os inputs e os outputs do processo produtivo) fornecidos pelas próprias instituições para o período 2004-2008. As 49 Ifes foram organizadas em dois subconjuntos (A e B), de acordo com as similaridades de suas atividades de ensino, pesquisa e extensão, para minimizar a heterogeneidade existente no setor. Os resultados das estimações das fronteiras de eficiência dos modelos dinâmicos apontaram escores de eficiências elevados, porém o índice de Malmquist mostrou uma queda de produtividade para a maioria das Ifes, indicando que pode estar havendo deterioração do produto educacional ao longo do tempo.

Fonte: Prof. Jair Andrade de Araújo, Coodenador do MAER, fone: (85) 3366 9720