Português

Prof. da Engenharia Agrícola tem trabalho aprovado em edital do CNPq

16 de dezembro de 2013

O Prof. Daniel Albiero, do Departamento de Engenharia Agrícola do Centro de Ciências Agrárias (CCA) teve seu projeto aprovado na chamada 18/2013 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O trabalho, na área de Energização Rural, versa sobre a contribuição de biodigestores na construção da integração de saberes de nível médio com um modelo de desenvolvimento sustentável para a região do semiárido.

Veja abaixo o resumo completo do trabalho que terá duração de 12 meses a partir de fevereiro de 2014 com um valor concedido de 39 mil reais:

O semiárido brasileiro é a maior área semiárida contínua situada num só país, caracteriza-se por uma média pluviométrica anual de 750 mm, porém mal distribuídas no tempo e no espaço, uma vez que apresentam áreas com média pluviométricas anuais inferiores a 400 mm. Assim, é fundamental pensar-se em sistemas produtivos para o semiárido que combinem a preservação do ecossistema, níveis adequados de produtividade, diminuição do risco ante à instabilidade do clima, de forma que possibilitem ao produtor rural ser competitivo no atual contexto econômico. O semiárido brasileiro apresenta problemas que são facilmente encontrados na maioria dos países em desenvolvimento: desmatamento, degradação do solo, processo de desertificação, destruição de biomas e mudanças climáticas locais. Todos estes aspectos têm uma relação próxima com o uso não sustentável de lenha para cocção de alimentos no meio rural. O processo de desertificação tem como uma das causas a energia utilizada. Diante do exposto, uma das alternativas energéticas para o semiárido brasileiro constitui o uso de biodigestores alimentados por esterco de caprinos visando a produção de biogás como combustível para substituição da lenha e geração de energia elétrica. Caprinos têm boa adaptação às condições climáticas encontradas na área. Além disso, para o pequeno produtor rural estes animais de pequeno porte são uma importante fonte de proteínas. De acordo com o IBGE (2013) existem aproximadamente 8 milhões de cabeças e a região detém 84,5% do rebanho caprino do Brasil. Assim, o presente projeto de pesquisa nasce da percepção de que existe grande potencial para a utilização do biodigestor (e produtos associados: biogás e biofertilizante) no contexto da convivência com o semiárido. Considerando as especificidades desta opção tecnológica na área de energização rural, se fazem necessários esforços para o desenvolvimento de novos processos e equipamentos, além da adaptação de processos e equipamentos preexistentes para uso neste ambiente susceptível à degradação ambiental, social e econômica. Nesta perspectiva vislumbra-se uma grande oportunidade de motivar meninas estudantes de agronomia e meninas estudantes de ensino médio em participarem da construção de uma nova forma de ver o ambiente do semiárido e a tendência atual do mundo em priorizar energias renováveis. Através do contato direto com pesquisas científica de alto nível e inovadora pretende-se inseri-las no contexto da convivência do semiárido e em estudos de geração de energia elétrica/térmica e aplicação de biofertilizantes na agricultura. Este direcionamento será realizado através da clara ligação entre os conhecimentos técnicos e saberes pertinentes às disciplinas de física, matemática e química para as meninas do segundo grau e para a estudante de agronomia aliadas as ciências aplicadas necessárias a execução do projeto. Para a estudante de graduação esta integração também será realizada entre as disciplinas da grade curricular do curso de engenharia agronômica tais como: energia na agricultura, criações animais, nutrição de plantas, construções rurais, motores, tratores e projetos de máquinas agrícolas.

 Fonte: Prof. Daniel Albiero, do Departamento de Engenharia Agrícola.