Português

Projeto está aperfeiçoando estrutura de pesquisa e extensão da EFA DOM Fragoso

30 de setembro de 2020

Várias obras estruturantes estão sendo realizados na área da Escola Família Agrícola Dom Fragoso (EFA), para dar suporte adequado à pesquisa que consolida este espaço como um laboratório de excelência quando o assunto é convivência com o Semiárido. Esta é uma ação do Projeto Brasil e Trentino: Novas oportunidades de co-desenvolvimento 2019-2021, realizado conjuntamente pela Cáritas Diocesana de Crateús, We World, Rede de Associações Brasileiras e Trentinas, Universidade Federal do Ceará, Universidade de Bologna (Itália), Fondazione E. Mach, e a própria EFA, com financiamento da Província de Trento.

Na imagem vemos a fase final da construção da casa de bombas à esquerda e à direito do tanque para criação de peixes, cuja água proveniente da criação será reutilizada na pesquisa com a palma forrageira irrigada

O objetivo do projeto é melhorar a inclusão social e o desenvolvimento da agricultura familiar por meio de modelos de economia popular solidária. Para tal, estão sendo desenvolvidas pesquisas na área de produção irrigada de palma forrageira, que perpassa pelo reaproveitamento de água e aperfeiçoamento do manejo dos roçados, em diálogo permanente entre os saberes científico e popular, que deixará um grande legado para a educação contextualizada para convivência com o Semiárido na região, não só do ponto de vista da infraestrutura, mas principalmente do conhecimento, uma vez que comunidade, educandas/os e educadoras/es participam de todo o processo.

Adaptação do laboratório de ciências agrárias da EFA Dom Fragoso para receber novos equipamentos, que darão suporte às pesquisas e atividades pedagógicas

Desse modo, a aprendizagem da EFA que já é uma referência nacional por adotar a pedagogia da alternância e ter em integralmente em seu modo de ser a Educação Contextualizada para convivência com o Semiárido, tende a dar um salto maior de qualidade, uma vez que tanto educadoras/es quanto educandos poderão participar de uma pesquisa com alto rigor científico.

 

 

 

Fonte: Cáritas Diocesana de Cráteus